segunda-feira, 29 de maio de 2017

FASE DE ACABAMENTO - APLICANDO A MASSA EPÓXI!

Nesses últimos dois sábados estivemos totalmente envolvidos no extenuante processo de preparar o casco para pintura.

Tivemos primeiramente que desenvolver uma receita adequada de massa epóxi, pois não se encontra nada pronto no mercado e as dicas que me deram, sobre possíveis fornecedores do produto pronto para aplicação, não vingaram!

Por conta disso encaramos mais esse desafio e com a ajuda do fornecedor da resina, fomos orientados sobre as possíveis cargas a serem utilizadas na composição da massa de nivelamento da superfície.

De posse dos materiais começamos a elaborar receitas e aplicar em pequenas áreas de maneira a testar cada receita para alcançar a qualidade de uma massa eficaz.

Para diferenciar cada ponto de aplicação, tingimos a massa com corante azul e isso também será muito útil no futuro, para identificar a camada de massa abaixo da pintura e sobre a fibra de vidro.

A massa ideal deve ter a textura de uma massa corrida de parede, deve ser fácil de aplicar e esticar.

Ela também deve proporcionar uma boa camada de cobertura, cerca de 1,5mm de espessura, dessa maneira é possível lixar nivelando sem muita preocupação.

Más as qualidades mais desejadas são a secagem rápida, trinta minutos ao toque; ótima aderência, jamais soltar depois de seca ao toque e finalmente, a facilidade de lixar, tem que ter a dureza certa.

Se ficar muito dura você morrerá lixando a massa e nunca terminará!

Fizemos seis receitas até encontrar o ponto e confesso que, qualquer pequena variação na quantidade de cargas solidas acrescentadas a massa é percebida na hora pelo aplicador.

Outra grande dificuldade é o tempo de cura. 

Se for muito longo, a massa aplicada na vertical acaba escorrendo muito; 

Se for muito curto é difícil aplicar e esticar em camadas finas ou dosar a espessura, sempre correndo o risco da massa entrar em ponto de gel, danando tudo!

Apesar de tudo conseguimos a receita satisfatória e o serviço tem andado.

Fácil não é não, é bem trabalhoso!

E eu pensava que a aplicação da fibra de vidro seria o pior serviço! 

Ledo engano!

Vou arriscar um palpite, mais cinco ou seis dias lixando e aplicando massa e deixaremos tudo prontinho para pintura.

Independentemente do tempo o importante é que o acabamento fique bom e a pintura ótima e linda.

Ainda não defini a cor final, estou bem inclinado para um tom vermelho bordo, contudo ainda não defini.

Se você tem alguma sugestão, me ajude, dê sua opinião!


Luiz Eduardo Paiva 
29/05/2017

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Mudando o Veleiro de lugar!


Mudando o Veleiro de lugar!

Hoje realizamos uma operação que eu muito temia, mudamos o veleiro para outro galpão.

Essa mudança foi necessária para liberar um espaço de interesse de nossa empresa e por conta disso preparei uma nova área no andar inferior para receber o veleiro.

O galpão inferior é mais baixo e mais estreito, também é um pouco úmido, más tenho certeza que atenderá nossa necessidade até o final da construção.

Eu já sabia da mudança e tive tempo para planejar tudo de maneira a facilitar ao máximo o trabalho.

Nesta data tínhamos previsto embarcar equipamentos em uma carreta utilizando o serviço de um Munck e dessa forma dispúnhamos de 6 horas de locação do equipamento, muito mais que o necessário para a tarefa.
Então organizei tudo de maneira a incluir a transferência do barco no escopo, aproveitando as horas excedentes do serviço contratado e evitando desperdício.

Deu tudo certo!

Os equipamentos foram embarcados em dois caminhões em apenas três horas e sobraram três horas para realizarmos a remoção e transferência do barco.

Tudo foi feito como previsto, com todo cuidado e profissionalismo. 

Aliás, nesse quesito, o pessoal da TRANSKIM, responsável pela execução da tarefa foi nota dez.

Também nosso pessoal envolvido deu apoio decisivo para o êxito, desde os preparativos prévios até os imprevistos de última hora, só tenho a agradecer a todos e parabenizar pelo bom trabalho.

Devo enfatizar que o fato do casco estar revestido com fibra de vidro foi muito benéfico, a estrutura ficou muito resistente e rígida facilitando muito lidar com ela e transmitindo muita segurança.

Agora continuaremos a construção e já neste próximo final de semana, faremos aplicação de massa epóxi e testes com alguns produtos de acabamento.

Espero até o final deste ano ter o casco totalmente pronto para então remove-lo para o litoral e finalizar a montagem dos equipamentos.

Parece que ganhamos um pouco de ânimo apesar da crise brasileira, essa triste e infinita crise brasileira, lamentável momento que vivemos!

Obrigado a todos que tem incentivado nosso trabalho e interagido através de nosso blog.

Breve teremos surpresas legais para mostrar, dentre elas estou estudando um sistema de quilha retrátil, ainda é só um estudo, contudo pode ser viável e se tornar mais um atrativo nesse veleiro.


Luiz Eduardo Paiva11/05/2017

domingo, 30 de abril de 2017

VENCEMOS O MITO E O MEDO!

30/04/2017
A coisa que mais me preocupava ao longo do planejamento da construção do veleiro era a aplicação da fibra de vidro sobre o casco, afinal eu não tive qualquer experiencia passada sobre o assunto e essa preocupação virou um mito.

Procurei estudar o tema durante meses e assisti muitos vídeos mostrando detalhadamente como fazer esse trabalho, porém passar da teoria para pratica requer muita disciplina e envolve muitos riscos.

Confesso que nem dormi direito na véspera do trabalho!

Hoje vencemos esse mito e conseguimos laminar as duas laterais do casco do OPP-30 utilizando tecido de fibra de vidro triaxial de 800g/m2, impregnado com resina epóxi, foi um sucesso!

É importante levar em conta que o desenho reto do casco facilitou o trabalho e como pode ser visto nas fotos, esticamos um único tecido da proa até a popa, o que certamente vai garantir uma grande rigidez e também facilidade para fazer o acabamento final, pois não há emendas.

O tecido triaxial é composto de três camadas de trama de fibras de vidro dispostas em sentidos diferentes garantindo uma enorme rigidez e formando uma poderosa capa protetora sobre a madeira do casco.


A espessura desse revestimento é de cerca de 1,5mm sendo extremamente duro e resistente a abrasão e umidade.

Cada lateral do casco consumiu 11m² de tecido e aproximadamente 9kg de resina epoxi.

Por conta da disposição vertical o excesso de resina escorreu facilmente e o trabalho ficou muito bom com excelente aderência em toda extensão.

É muito interessante ver como o tecido fica totalmente transparente com a aplicação da resina revelando todos os detalhes da madeira e também todos os acabamentos de massa feitos no casco antes da aplicação da fibra.

Na véspera do trabalho fizemos uma limpeza minuciosa de toda superfície e finalizamos com panos molhados em álcool, (Etanol), de maneira a deixar a superfície totalmente limpa e seca, desse modo, no momento da aplicação da fibra com resina toda superfície da madeira estava sequinha e pronta para absorver a resina, garantindo assim a máxima aderência que é o objetivo primordial.

Vencemos mais uma etapa, mais uma batalha, más não a guerra!

É muito gratificante quando nos empenhamos em fazer algo e tudo dá certo!

O próximo passo agora é lixar, aplicar massa epóxi, lixar novamente e pintar.
Parece fácil né!


Se Deus quiser breve completaremos mais essa etapa.